Câmara de Cascais

Regulamento

ESTORILFOOT 2019

TORNEIO NACIONAL DE FUTEBOL JUVENIL

REGULAMENTO INTERNO

 

1. CATEGORIAS

    1. Futebol de Sete

1.1.1     Traquinas              (Jogadores nascidos no ano de 2010/11)
1.1.2     Benjamins “E1”     (Jogadores nascidos no ano de 2009)
1.1.3     Benjamins “E2”     (Jogadores nascidos no ano de 2008)
1.1.4     Infantis  “D1”        (Jogadores nascidos no ano de 2005)

    1. Futebol de Nove

1.2.1     Infantis  “D2”        (Jogadores nascidos no ano de 2006)

2. REGULAMENTAÇÃO

    1. Jogos conforme os regulamentos da F.P.F., com excepção do estipulado no presente Regulamento.

 

3. DATAS

3.1       1ª Fase          -        Dias 24, 25 e 26 de Junho de 2019
3.2       2ª Fase          -        Dias 27 e 28 de Junho de 2019
3.3       3ª Fase          -        Dia 29 de Junho de 2019

4. LOCAIS DA REALIZAÇÃO DOS JOGOS

4.1       Campo nº 2 do Estoril Praia
4.2       Campo da Associação da Torre em Cascais
4.3       Campo do Dramático de Cascais
4.4       Campo do Fontainhas de Cascais
4.5       Campos do Tires
4.6       Campo do Trajouce

5. QUADRO COMPETITIVO

    1. 1ª Fase
    2. Grupos de quatro ou cinco equipas, em cada categoria, jogando entre elas em cada um dos grupos, por pontos e a uma volta.
    3. Apura para a 2ª Fase, os dois primeiros classificados de cada série para disputarem a GOLDEN CUP e os terceiros e quartos classificados para disputarem o SILVER CUP.
    4. 2ª Fase

            Em cada categoria, na GOLDEN CUP, jogos eliminatórios.
            Em cada categoria, na SILVER CUP, jogos eliminatórios.

    1. 3ª Fase

            Em cada categoria, na GOLDEN CUP, final de apuramento de campeão
            Em cada categoria, na SILVER CUP, final de apuramento do vencedor da prova de honra.

6. PONTUAÇÃO

    1. Nos jogos da 1ª Fase

 

      1. 3 pontos por cada vitória.
      2. 1 ponto por cada empate.
      3. 0 pontos por cada derrota.
      4. 0 pontos por cada falta de comparência e o averbamento do resultado 0-5.

7. FORMAS DE DESEMPATE

7.1   Em caso de igualdade pontual na 1ª Fase, e por esta ordem:

      1. O maior número de pontos obtidos no jogo ou nos jogos entre as equipas empatadas.
      2. A maior diferença entre os golos marcados e sofridos nos jogos realizados entre as equipas empatadas.
      3. A maior diferença entre o total de golos marcados e sofridos.
      4. A equipa com o maior número de golos marcados.
      5. A maior pontuação no Troféu Fair Play.

 

7.2   Em caso de igualdade no final do tempo regulamentar, nos jogos da 2ª e 3ª fases:

7.2.1     Marcação de uma série de três pontapés da marca de grande penalidade.
7.2.2      Os pontapés são executados alternadamente por cada equipa.
7.2.3    Se antes das duas equipas terem executado os seus três pontapés, uma delas marque mais golos do que a outra poderia marcar mesmo que completasse a série de pontapés, a execução não deve prosseguir.
7.2.4    Se depois das duas equipas terem executado os seus três pontapés, ambas tiverem marcado o mesmo número de golos ou não tiverem marcado nenhum, a execução prossegue pela mesma ordem, uma de cada vez, até que uma equipa tenha marcado um golo a mais do que a outra com o mesmo número de tentativas.

8. DURAÇÃO DOS JOGOS E INTERVALO

    1. Duas partes de 25 (vinte e cinco) minutos cada.
    2. O Intervalo entre as duas partes do jogo terá a duração de quatro minutos.

 

9. DIMENSÃO DAS BALIZAS

    1.        Seis metros de largura por dois metros de altura.

 

10. BOLAS

    1. Nº 4, disponibilizadas pela organização.

 

11. FICHAS DE JOGOS

    1. Serão previamente enviadas aos Clubes para preenchimento. Após estar devidamente preenchida, deverá ser enviada à Organização, até ao dia 22 de Junho.
    2. A Ficha para todos os jogos de cada uma das equipas, estará junto do responsável da Organização, nos campos onde as equipas jogam.

 

12. NÚMERO DE JOGADORES POR EQUIPA

12.1     Futebol de Sete

12.1.1    A utilizar em cada jogo, no máximo de quinze.
12.1.2    A utilizar em todo o Torneio, dezoito.

12.2     Futebol de Nove

12.2.1    A utilizar em cada jogo, no máximo de dezoito.
12.2.2    A utilizar em todo o Torneio, vinte e dois.

 

13. SUBSTITUIÇÕES

 

    1. Volantes e sem limite em cada jogo.

14. NUMERAÇÃO

    1. Os jogadores utilizarão, obrigatoriamente, o mesmo número de dorsal, durante todo o Torneio.

 

15. EQUIPAMENTOS

    1.  É expressamente proibido, a utilização de calçado com pitons de alumínio.
    2. Se as cores das camisolas de jogo de ambas as equipas forem idênticas, e se o árbitro assim o entender, trocará a equipa considerada a jogar em casa (a que surge no lado esquerdo no calendário).

 

16. ÁRBITROS

    1.     Futebol de Sete

 

16.1.1     Um elemento em cada jogo, nomeado pelo Conselho de Arbitragem da AF de Lisboa.
16.1.2     Dois elementos, nos jogos das meias-finais e finais de infantis “D1”.

    1. Futebol de Nove

 

16.2.1      Dois elementos em cada jogo, nomeados pelo Conselho de Arbitragem da AF de Lisboa.

17. DISCIPLINA

    1. As situações de indisciplina serão analisadas pelo Comité Técnico/Disciplinar.

 

18. IDENTIFICAÇÃO E CONTROLO DAS IDADES DOS JOGADORES

    1. Cartão de Jogador, ou Bilhete de Identidade, ou Cartão de Cidadão, ou Passaporte.
    2. Antes do início de cada jogo, o delegado entregará ao responsável do campo, os originais dos documentos de identificação dos jogadores participantes nesse jogo, os quais serão devolvidos no final de cada jogo.
    3. Em caso de dúvida sobre a idade de um jogador, a Organização fará a devida verificação pessoal, na presença do delegado da equipa.
    4. Em caso de utilização irregular comprovada de um jogador, a equipa será penalizada em cada um dos jogos em que esse jogador participou, com a penalização prevista no ponto 6.1.4 deste regulamento.

 

19. PRÉMIOS

    1. Individuais

 

      1.   Medalha de classificação para os primeiros e segundos classificados, em cada categoria.
      1.   Troféus Melhor Marcador

 

        1. A atribuir ao jogador de cada categoria que maior número de golos marcar.
        2. Os golos marcados nos pontapés da marca de grande penalidade após o tempo regulamentar (7.2 deste Regulamento), não são considerados para a atribuição deste prémio.
        3.   Em caso de igualdade entre dois ou mais jogadores, será atribuído ao jogador cuja equipa tenha realizado um menor número de jogos.
        4. Mantendo-se a igualdade será atribuído ao jogador mais novo.

 

    1. Coletivos

 

      1. Taças Fair Play
        1. A atribuir, em cada categoria, tendo em consideração o comportamento social e disciplinar de todos os participantes de cada uma das comitivas.
        2. Para a atribuição deste prémio, será levado em linha de conta a pontuação atribuída pelo árbitro da partida que após o final do encontro, a fará constar da ficha do respetivo jogo.
        3. A pontuação é de 0 (zero) a 20 (vinte), sendo a pontuação máxima (20) atribuída em caso de comportamento disciplinar exemplar de toda a comitiva.

 

19.2.2     Taças de Classificação

19.2.2.1   Taça de Vencedor em cada categoria em ambos os Troféus (Silver Cup e Golden Cup).
19.2.2.2   Taça de Finalista em cada categoria em ambos os Troféus (Silver Cup e Golden Cup).

20. SEGUROS
 

20.1              Os jogadores, dirigentes, treinadores, massagistas, médicos e quaisquer outros elementos agregados, participantes no Torneio, deverão obrigatoriamente encontrar-se segurados, nas condições mínimas exigidas por lei.

21. JOGADORES
 

21.1              As equipas que desejem utilizar neste Torneio, jogador oficialmente inscrito por outro Clube, deverão, obrigatoriamente, apresentar antes da sua participação, a autorização escrita, em papel timbrado do Clube ao qual o jogador está vinculado.

    1. Em caso incumprimento, a equipa será penalizada em cada um dos jogos, com a penalização prevista no ponto 6.1.4 deste regulamento.

22. CASOS OMISSOS
 
22.1              Em todos os casos omissos no presente Regulamento, cabe ao Comité Técnico/Disciplinar, decidir de acordo com os regulamentos da F. P. F., decisão da qual não haverá lugar a protesto ou recurso.

23. COMITÉ TÉCNICO/DISCPLINAR
 
23.1              As questões Técnico/Disciplinares são apreciadas por um Comité constituído por três elementos, nomeados pela Organização.